O concurso público para a Controladoria Municipal de João Pessoa vai oferecer 20 vagas para nível médio e superior e salários variam de R$ 1.250 a R$ 5 mil. O edital deve ser divulgado na segunda quinzena de fevereiro. 

De acordo com o procurador-geral da prefeitura de João Pessoa, Adelmar Azevedo, o Plano de Cargo e Carreira da Controladoria será enviado para a Câmara Municipal da Capital logo após encerrar o recesso da Casa, e sendo aprovado será lançado edital do certame. A Câmara volta os trabalhos no início de fevereiro.

Serão oferecidas 10 vagas de nível médio para o cargo de técnico de controle interno municipal. O salário para o cargo pode chegar até R$ 2.500 com o adicional de desempenho. “O valor do salário é de R$ 1.250 para esse cargo, mas como a gratificação pelo desempenho, ele pode chegar até R$ 2.500”, explicou Adelmar. 

Já no nível superior, serão 10 oportunidades para todas as áreas de formação, no cargo de auditor de controle interno municipal. O salário inicial é de R$ 2.500, mais adicional de desempenho ele pode chegar até R$ 5 mil. 

 

Dentro do total de funções, o certame conta com vagas reservadas para pessoas com deficiência. A prova objetiva ainda não tem data prevista para ser aplicada. A banca examinadora deverá ser escolhida após aprovação do plano na Câmara. 

 

Exército permanece nas ruas do Recife até esta terça-feira

 
 
O Governo do Estado não pre­­­tende pedir uma segunda prorrogação da permanência do Exército no apoio ao policia­­mento no Grande Recife. A Operação Leão do Norte, iniciada em 9 de dezembro e estendida por mais 15 dias antes do Natal, tem prazo até esta terça-feira (03). O auxílio das tropas foi solicitado ao Governo Federal após policiais militares deflagrarem uma operação padrão no dia 6 do mês passado.
 
A avalia­­­ção do Palácio do Campo das Princesas é de que medidas como a suspensão de férias e aplicação de punições a PMs que não derem plantões extras com os quais tiverem se comprometido têm ajudado a amenizar os efeitos do movimento da categoria e darão fôlego para que a segurança vol­­­te a ser feita só pelo efetivo do Es­­tado daqui em diante. No cen­­tro do impasse, a pauta sala­­­rial dos PMs deve ser dis­­cutida em reunião nesta quarta-feira (04).
 

 

“Quando houve a prorroga­­ção, o efetivo das Forças Arma­­­das veio mais reduzido. Por outro lado, a gente já conseguiu fazer mais lançamentos e complementar muitas escalas em virtude da interrup­­­ção das férias. Então, no meu entendimento, temos co­­mo atravessar janeiro com nosso pessoal. A gente está pla­­­nejado para, a partir de 4 de janeiro, já assumir em sua integridade o policiamento co­­­mo era feito antes”, afirmou o governador Paulo Câma­­­ra em entrevista à Folha de Per­­nambuco. Só a suspensão das férias, válida até 31 de janeiro, trouxe de volta ao traba­lho cer­­ca de 1,5 PMs.
 
O governador também se dis­­se confiante na resolução de demandas dos policiais. “O concurso que estamos terminando em 2017 vai ajudar. São 1,5 mil homens da Polícia Militar e, se tiver mais de 1,5 mil aprovados, vou chamar, porque eles se aposentam muito novos”, completou.

 

Conforme a PM, as negocia­­ções de amanhã ocorrerão en­­­tre o comandante da corpo­­ra­­­ção e representantes do Governo. Em paralelo, familiares dos policiais pre­­­tendem promover, hoje, uma caminhada no Centro para sensibilizar a so­­ciedade. “O destino da opera­­ção padrão vai depender do dia 4. Por ora, ela segue e tem seus efeitos. O PJES [Programa de Jornada Ex­­tra de Segu­­­ran­­ça] de dezem­­bro foi entre­­­gue por 99% dos que tinham aderido, e o de janeiro, por 95%. Considerando que es­­­ses plantões comportam de 70% a 75% do efetivo nas ruas, é só ver co­­mo o policiamento dimi­­­nu­iu”, disse o vice-presiden­­­te da Asso­­­ciação de Cabos e Soldados, Nadelson Leite. (Via: Folha PE)