Get Adobe Flash player

 

 

 

A democracia não é respeitada no Brasil e o País hoje é governado por usurpadores do poder.

Essas são as duas conclusões principais de uma pesquisa Ipsos publicada pelo jornal Estado de S. Paulo.

De acordo com o levantamento, nada menos que 86% avaliam que a democracia não é respeitada – resultado natural desde que a presidente legítima Dilma Rousseff foi afastada pelo vice Michel Temer que conspirou e a traiu.

Além disso, 94% avaliam que o grupo que está no poder – Temer e sua turma – não representa a sociedade.

"A onda de negativismo contamina a percepção sobre a própria democracia: só metade da população considera que esse é o melhor regime para o Brasil, e um terço afirma que não é. Quando os eleitores são questionados especificamente sobre o modelo brasileiro de democracia, a taxa de apoio é ainda mais baixa: 38% consideram que é o melhor regime, e 47% discordam. A pesquisa também mostra que 74% são contra o voto obrigatório", diz ainda a pesquisa.

Confira abaixo alguns resultados e aqui a pesquisa na íntegra:

 

 

Dilma critica reforma política em velório do ex-marido

 

A ex-presidente Dilma Rousseff no velório do ex-marido, Carlos Araújo

Folha de S.Paulo – Alexandre Elmi

A ex-presidente Dilma Rousseff acusou a proposta de criação do chamado distritão, prevista no projeto de reforma política em debate no Congresso, de ser uma extensão do golpe que teria sido praticado contra ela em 2016.

O comentário foi feito durante um discurso emocionado ao final da cerimônia de despedida do ex-marido, o advogado trabalhista Carlos Araújo, morto na madrugada deste sábado (12), em Porto Alegre, aos 79 anos.

“O golpe é um processo, não é uma iniciativa isolada. Começou com o impeachment, continua com o impedimento da candidatura de Lula (em 2018) e pode continuar com a criação do distritão e do parlamentarismo”, disse Dilma a familiares, amigos e políticos de expressão regional que compareceram ao velório.

A ex-presidente também atacou a elite do país. “Temos uma elite insensível, interessada no descontrole político e não no desenvolvimento da nação brasileira e do nosso povo”, discursou, em meio a referências afetuosas ao ex-companheiro.

Ao destacar a coerência política do ex-marido, Dilma lembrou a solidariedade de Araújo durante o período em que sofreu o processo de impeachment. “Ele estava estarrecido. Ele foi um lutador contra a ditadura [militar] e contra o poder que emana das elites econômicas, políticas e midiáticas”, destacou.

Foi o único momento em a que ex-presidente Dilma falou de maneira pública, durante o velório. Araújo não resistiu a complicações pulmonares e morreu à 0h01, na UTI do Hospital São Francisco, no Complexo Hospitalar da Santa Casa de Porto Alegre.

A despedida teve início às 15h na Assembleia Legislativa gaúcha e foi aberta ao público pouco depois para que os parentes mais próximos tivessem contato reservado com o corpo do político.

Durante toda a tarde, Dilma não falou com a imprensa. Ela optou por ficar circulando entre conhecidos da capital gaúcha. A ex-presidente intercalou momentos ao lado do caixão e em um espaço restrito, com acesso ao salão Julio de Castilhos da Assembleia. Ela voltava ao saguão para receber os cumprimentos de amigos, familiares e políticos.

A petista ficou em pé, boa parte do tempo, na companhia da filha que teve com Araújo, a procuradora do trabalho Paula Rousseff de Araújo, e do genro, Rafael Covolo. Transparecia serenidade e emoção.

Colega de ministério no governo Lula, Tarso Genro, ex-governador do Rio Grande do Sul (2011-2014) pelo PT e ex-ministro da Justiça, chegou por volta das 16h50. Abraçou a ex-presidente e conversaram brevemente.

Na saída, abatido, Tarso lamentou a perda do amigo. Sublinhou o passado de luta pela democracia do político morto. “A gente está em uma idade de perder as nossas melhores referências”, disse Genro.

O tom de perda de um amigo também caracterizou as palavras do ex-governador Olívio Dutra (PT), para quem Araújo exercia uma liderança que chamou de “franca e fraterna”.

Dutra lembrou o envolvimento do político nos movimentos sociais e sindicais na década de 1980 e o trabalho de Araújo como deputado estadual por três mandatos. “Era daqueles militantes que não vacila, na luta pelos direitos do trabalhador”, ressaltou Dutra.

Para o ex-deputado federal e um dos líderes do PDT no Rio Grande do Sul Carlos Eduardo Vieira da Cunha, Araújo tinha como marca a capacidade de diálogo.

“Ele era um trabalhista, mas tinha relação com todas as forças de esquerda”, afirmou Vieira da Cunha ao chegar ao velório.

Em nota, o governador José Ivo Sartori (PMDB-RS) afirmou que Araújo “se destacava pelo espírito democrático, se relacionando de forma fraternal e sempre respeitando posições diversas”.

Considerado um “filho político” de Araújo, o ex-presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Milton Zuanazzi, também discursou na cerimônia final. Antes, ao elogiar a capacidade de articulação política do ex-companheiro do PDT, Zuanazzi reconheceu que faltou alguém com o perfil de Araújo no governo de Dilma.

“Carlos Araújo é aquele tipo de pessoa que faz falta a qualquer governo. Para um governo que acabou com um impeachment, mais ainda”, comentou Zuanazzi, que construiu boa parte da carreira política ao lado de advogado trabalhista.

TRAJETÓRIA

Nascido em São Francisco de Paula, RS, em 1938, Carlos Franklin Paixão de Araújo era filho do também advogado trabalhista Afrânio Araújo, de quem herdou o gosto pelo direito e pela política.

Na década de 1950, ingressou na Juventude Comunista e integrou a delegação brasileira para o Festival da Juventude de Moscou em 1957. Anos mais tarde, integrou a organização guerrilheira VAR-Palmares, na qual em 1969 conheceu a futura mulher, Dilma Rousseff, com quem viveu até 2000 e depois seguiu como amigo.

Max, codinome pelo qual era conhecido nos tempos de luta armada, foi preso pela ditadura militar em julho de 1970, meses após a captura de Dilma. Ele deixou a cadeia em 1974, mesmo ano em que perdeu o pai e assumiu o escritório de advocacia que existe até hoje na capital gaúcha.

Na carreira política, era ligado a Leonel Brizola e foi um dos fundadores do PDT, partido pelo qual se elegeu deputado estadual por três vezes e chegou a disputar a Prefeitura de Porto Alegre, em 1988 -na época, perdeu a eleição para Olívio Dutra, que inaugurou a série de quatro gestões seguidas na cidade sob comando do PT.

Em 2000, junto com Dilma e outros correligionários, Araújo deixou o PDT e passou a se dedicar a o escritório que mantém na capital gaúcha.

Mesmo afastado da vida política, Carlos Araújo não deixou de opinar sobre assuntos políticos contemporâneos. Sobre o processo que levou ao impeachment da amiga e ex-mulher da Presidência, Araújo considerava que houve um “golpe” e que Dilma foi abandonada pelo PT.

 

Soldado da Policial Militar morre vítima de tiro acidental dentro de alojamento em Pesqueira

Um soldado morreu vítima de um disparo acidental na manhã deste sábado (12) em Pesqueira, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, ele estava no alojamento da PM quando o acidente ocorreu.

Ainda segundo a polícia, o soldado havia chegado para trabalhar quando tirou o revólver da bolsa e a arma disparou. O tiro atingiu o tórax do policial.

Alguns colegas de trabalho ouviram o barulho e socorreram a vítima, que foi levada para uma unidade de saúde de Pesqueira, conforme informou a PM. Ele foi transferido para um hospital de Arcoverde, mas não resistiu aos ferimentos

 

 

 

Corpo do presidente do PR em Petrolina é velado na Câmara de Vereadores da cidade

 
 
O corpo do presidente do Partido da República (PR) em Petrolina, Klebyo Luciano Bezerra Vieira, está sendo velado na Câmara de Vereadores da cidade, no Sertão de Pernambuco. O político de 38 anos foi assassinado na madrugada deste sábado (12), na PE-647, em frente ao aeroporto Senador Nilo Coelho. O velório começou às 18h30.
 
O enterro de Klebyo Luciano está previsto para acontecer neste domingo (13), às 9h, no Cemitério Campo da Paz, no bairro Henrique Leite, na Zona Leste de Petrolina. Durante todo o dia, políticos da região lamentaram a morte de Klebyo.
 
 
 
 

EM PETROLINA, MADRUGADA DE BUSCAS E INVESTIGAÇÕES POLICIAIS SOBRE ASSASSINATO DO PRESIDENTE DO PR


Por Edenevaldo Alves

Desde as primeiras horas da madrugada deste sábado (12), a polícia investiga o assassinato do presidente do Partido da República (PR) em Petrolina, Klebyo Luciano Bezerra Vieira, 38 anos. De acordo com informações policiais, ele foi morto, por volta da 1h30, com dois tiros na cabeça enquanto se deslocava com seu veículo nas proximidades do aeroporto da cidade em companhia da sua filha de apenas 02 anos.

A vítima perdeu o controle do veículo chegando a subir no canteiro central e colidir com um poste. Segundo informações obtidas com exclusividade pelo Blog, a sua filha foi resgatada por populares que passavam pelo local, que em seguida, chamaram a polícia.

Com a chegada da viatura policial, o local foi isolado até a chegada da equipe do Instituto de Criminalística que após procedimentos periciais removeu o corpo para o IML. Ainda não se sabe o que teria motivado e qual a autoria do crime.

A família ainda não divulgou informações sobre o velório e o sepultamento. Klebyo Bezerra é natural de Serra Talhada, Sertão de Pernambuco.

Mega-Sena: Ninguém acerta e prêmio acumula em R$ 7 mi

 
 
Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1.958 da Mega-Sena, sorteado na noite deste sábado (12) no município de Feijó (AC). As dezenas foram: 15 - 20 - 22 - 24 - 34 - 55. A expectativa de prêmio era de R$ 2,5 milhões. A previsão para o próximo sorteio é de R$ 7 milhões.
 
A Quina teve 32 acertadores. Cada um ganhou R$ 52.452,50. Outras 2.670 pessoas ganharam R$ 898,06, cada, na Quadra.
 
Este foi o terceiro concursos da semana, como parte da "Mega Semana dos Pais". Os dois primeiros foram na terça (08) e na quinta (10). Normalmente, os sorteios ocorrem às quartas e sábados.

 

 

 

Incêndio atinge residência em Carnaíba

 
Resultado de imagem para imagem casa incendio
Imagem ilustrativa
 
A GT ordinária foi acionada pela Central de Operações para averiguar uma ocorrência no bairro Gitirana, Carnaíba-PE. Chegando ao local, foi constatado que se tratava de um incêndio residencial, de imediato foi acionado os Bombeiros, onde estes conseguiram apagar o incêndio e informaram que provavelmente tenha sido ocasionado por algum problema na fiação elétrica. No momento do incêndio, não havia pessoas na residência, pois a proprietária estava dormindo na casa de sua genitora, todo o telhado da residência foi danificado.

Novas informações sobre o assassinato do agricultor Severino Leopoldo em Afogados da Ingazeira

Em Afogados da Ingazeira, sertão de Pernambuco, a GT foi acionada pela Central de Operações informando que na estrada vicinal de saída da cidade no acesso da comunidade de Queimada Grande, nas proximidades do Conjunto Residencial Laura Ramos, havia ocorrido um homicídio às 11h30 deste sábado 12.
 
 Chegando ao local, foi constatada a veracidade do fato, onde de imediato foi isolado o local e acionada a Polícia Civil. Populares informaram ao policiamento que a vítima Severino Leopoldo da Silva, agricultor,  trafegava em uma moto Honda 150 Titan ES, cor vermelha, saindo da zona urbana de Afogados da Ingazeira sentido sua residência no Sítio Leitão da Carapuça, zona rural de Afogados da Ingazeira, quando uma caminhoneta o acompanhou, que logo em seguida a vítima foi alvejada nas costas com vários disparos de revólver cal. 38.
 
Diligências foram realizadas no intuito de localizar o imputado, porém sem êxito. Após a conclusão dos trabalhos da Polícia Civil, o corpo foi encaminhado ao Hospital Regional de Afogados da Ingazeira e posteriormente ao IML de Caruaru e a ocorrência repassada a DP local, onde será instaurado um Inquérito Policial para investigação do fato.